Deputado Marcelo Cruz leva rasteira de Nilton Capixaba, que teve ajuda de um jovem parlamentar

Infelizmente, o fenômeno de intrigas e traições políticas não é incomum na arena política. Dentro de um partido ou entre membros da mesma legenda ou coligações pode haver rivalidades, competições e busca por poder, o que, por vezes, resulta em ações como “rasteiras” ou traições políticas.

Vários fatores podem contribuir para esse tipo de comportamento, incluindo ambição pessoal, divergências ideológicas, disputas por recursos, e sede de poder, além da dinâmica complexa da política. É importante observar que essas práticas nem sempre refletem a totalidade do cenário político e que muitos políticos se envolvem em ações positivas em prol de suas comunidades.

No entanto, vale ressaltar que, a conscientização sobre tais comportamentos e a exigência de transparência, responsabilidade e ética na política são fundamentais para a construção de uma sociedade mais justa e para fortalecer a confiança do público nas instituições democráticas.

Posto isso, a situação política local envolvendo o deputado Marcelo Cruz (Patriota) que levou uma tremenda rasteira do ex-deputado federal Nilton Capixaba, na junção de seu partido com o PTB. O presidente da Assembleia Legislativa não terá o comando da agremiação. Nilton Capixaba fica com a presidência da executiva estadual, enquanto a municipal de Porto Velho ficará com o ex-prefeito de Ouro Preto do Oeste, Carlos Magno.

Fontes revelam que o presidente da Assembleia Legislativa passou a ser sondado por um grande partido assim que vazaram conversações em Brasília

A rasteira foi completa, e Nilton Capixaba teve o apoio de um jovem deputado federal, segundo fontes do blog em Brasília. Capixaba, na mesma reunião, indicou o nome de Carlos Magno para comandar o diretório de Porto Velho.

Marcelo Cruz, pré-candidato a prefeito da capital, ficou como um peixe fora d´água por algumas horas, mas teria sido procurado por um grande partido. Ao que tudo indica ele deverá aceitar o convite e deixará o Patriota. Isso será possível devido à junção com o PTB.

Outra novidade confirmada pela fonte do Entrelinhas em Brasília é que o comando nacional do União Brasil determinou que o partido deve ter candidatura própria em Porto Velho. “O UB é cabeça, e não rabo”, teria sido o recado dado pela cúpula do partido.

Isso teria deixado animado o deputado federal Fernando Máximo (União Brasil-RO). A deputada federal Cristiane Lopes (União Brasil-RO) também teria manifestado interesse em ser candidata à prefeitura da capital.

Fazia tempo que um presidente da Assembleia Legislativa não levava uma rasteira dessas. Vamos ver se ele faz como o capitão Nascimento, no início de Tropa de Elite 2, e consegue cair de pé.

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias