“Memória seletiva” do ex-comandante do Exército é exposta

Foto: Exército

Fabio Wajngarten, advogado e membro da equipe de defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), confrontou as declarações do general Freire Gomes, antigo comandante do Exército, feitas à Polícia Federal.

Freire Gomes relatou ter participado de encontros com Bolsonaro, onde teriam sido discutidos documentos relativos à implementação de medidas extremas como GLO, estado de Defesa e estado de Sítio.

Wajngarten descreveu o testemunho do general como “folclórico” e destacou a estranha “memória seletiva” do militar, que lembra de detalhes específicos, mas não das datas exatas das reuniões.

“Tem general com memória seletiva. Recorda-se de vírgulas, frases e palavras, mas não se recorda de datas. Bem curioso. Mais [curioso] ainda é que as defesas não têm nenhum acesso a esse depoimento folclórico,” ele escreveu.

Freire Gomes teria mencionado que Bolsonaro apresentou um documento aos líderes militares contendo alegações de supostas intervenções judiciais.

Entretanto, o próprio general admitiu não conseguir precisar a data do encontro com Bolsonaro, o que acrescenta uma camada de ambiguidade às suas alegações.

Source: JCO
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

0
Would love your thoughts, please comment.x
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
×

Olá!

Clique em um de nossos contatos abaixo para conversar no WhatsApp

× Canal de denúncias