São Paulo se desilude com James Rodriguez e Colombiano fugiu dos pênaltis por falta de confiança

James Rodriguez não cobrou pênalti nas quartas de final MARCELLO ZAMBRANA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO 
A direção do São Paulo vai segurar Thiago Carpini, como publicou o blog, na madrugada de hoje.

O presidente Julio Casares acredita no trabalho do técnico de 39 anos.

Mas ele e vários conselheiros, que o garantem no poder, quiseram saber a mesma coisa.

Por que a estrela midiática, internacional, ex-jogador do Real Madrid e do Bayern de Munique, que disputou duas Copas do Mundo, não cobrou uma das seis penalidades contra o Novorizontino, ontem, no Morumbi? Na decisão que eliminou o São Paulo do Paulista, por 5 a 4.

Carpini foi direto.

A decisão foi de James Rodriguez.

Como não há mais a imposição de o time entregar para os árbitros a lista dos cobradores de pênalti, assim que vai começar a decisão, Carpini deixou para os atletas. Os mais confiantes bateram.

Ele exemplificou que usou a mesma metodologia contra o Palmeiras, na decisão da Supercopa do Brasil, competição que o São Paulo ganhou.

James Rodriguez não se manifestou.

Porque ele não se sentiu à vontade, confiante.

Porque, de maneira sigilosa, o São Paulo não revelou para a imprensa que o colombiano treinou muito leve na semana passada. E só na sexta-feira teve a certeza de que poderia jogar entre 20 e 25 minutos de partida.

Porque estava recuperando de suas crônicas dores na panturrilha direita.

Dores que já o tiraram da Copa do Mundo do Catar.

Além disso, James não quis se expor, como aconteceu na decisão das quartas de final da Copa Sul-Americana de 2023.

Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU
Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Ele escorreu, seu pé direito tocou na bola antes do chute forte, por cima do gol, contra a LDU. Foi o único a errar e a equipe equatoriana se classificou para a semifinal, dentro do Morumbi, vencendo nos pênaltis por 5 a 4.

Os dirigentes ouviram as explicações de Carpini.

E aceitaram, a contragosto.

O meia de 32 anos recebe R$ 1,5 milhão por mês.

Foi contratado para servir de referência à torcida.

E aos próprios companheiros de time.

Como ex-jogador, Carpini diz que ‘entende e aceita as justificativas’.

Mas internamente está claro.

As cobranças serão muito maiores para o colombiano.

A exigência é de maior envolvimento com o time.

James Rodriguez conta com dois grandes defensores no elenco.

Lucas e Rafinha, que o convenceram a ficar no São Paulo em 2024.

Mas não será surpresa se, com a abertura da janela, ele deixar o Morumbi.

A insatisfação é dos dois lados.

Não ter cobrado pênalti só aumentou a desilusão entre os dirigentes…

A direção do São Paulo vai segurar Thiago Carpini, como publicou o blog, na madrugada de hoje.

O presidente Julio Casares acredita no trabalho do técnico de 39 anos.

Mas ele e vários conselheiros, que o garantem no poder, quiseram saber a mesma coisa.

Por que a estrela midiática, internacional, ex-jogador do Real Madrid e do Bayern de Munique, que disputou duas Copas do Mundo, não cobrou uma das seis penalidades contra o Novorizontino, ontem, no Morumbi? Na decisão que eliminou o São Paulo do Paulista, por 5 a 4.

Carpini foi direto.

A decisão foi de James Rodriguez.

Como não há mais a imposição de o time entregar para os árbitros a lista dos cobradores de pênalti, assim que vai começar a decisão, Carpini deixou para os atletas. Os mais confiantes bateram.

Ele exemplificou que usou a mesma metodologia contra o Palmeiras, na decisão da Supercopa do Brasil, competição que o São Paulo ganhou.

James Rodriguez não se manifestou.

Porque ele não se sentiu à vontade, confiante.

Porque, de maneira sigilosa, o São Paulo não revelou para a imprensa que o colombiano treinou muito leve na semana passada. E só na sexta-feira teve a certeza de que poderia jogar entre 20 e 25 minutos de partida.

Porque estava recuperando de suas crônicas dores na panturrilha direita.

Dores que já o tiraram da Copa do Mundo do Catar.

Além disso, James não quis se expor, como aconteceu na decisão das quartas de final da Copa Sul-Americana de 2023.

Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU
Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Ele escorreu, seu pé direito tocou na bola antes do chute forte, por cima do gol, contra a LDU. Foi o único a errar e a equipe equatoriana se classificou para a semifinal, dentro do Morumbi, vencendo nos pênaltis por 5 a 4.

Os dirigentes ouviram as explicações de Carpini.

E aceitaram, a contragosto.

O meia de 32 anos recebe R$ 1,5 milhão por mês.

Foi contratado para servir de referência à torcida.

E aos próprios companheiros de time.

Como ex-jogador, Carpini diz que ‘entende e aceita as justificativas’.

Mas internamente está claro.

As cobranças serão muito maiores para o colombiano.

A exigência é de maior envolvimento com o time.

James Rodriguez conta com dois grandes defensores no elenco.

Lucas e Rafinha, que o convenceram a ficar no São Paulo em 2024.

Mas não será surpresa se, com a abertura da janela, ele deixar o Morumbi.

A insatisfação é dos dois lados.

Não ter cobrado pênalti só aumentou a desilusão entre os dirigentes…

A direção do São Paulo vai segurar Thiago Carpini, como publicou o blog, na madrugada de hoje.

O presidente Julio Casares acredita no trabalho do técnico de 39 anos.

Mas ele e vários conselheiros, que o garantem no poder, quiseram saber a mesma coisa.

Por que a estrela midiática, internacional, ex-jogador do Real Madrid e do Bayern de Munique, que disputou duas Copas do Mundo, não cobrou uma das seis penalidades contra o Novorizontino, ontem, no Morumbi? Na decisão que eliminou o São Paulo do Paulista, por 5 a 4.

Carpini foi direto.

A decisão foi de James Rodriguez.

Como não há mais a imposição de o time entregar para os árbitros a lista dos cobradores de pênalti, assim que vai começar a decisão, Carpini deixou para os atletas. Os mais confiantes bateram.

Ele exemplificou que usou a mesma metodologia contra o Palmeiras, na decisão da Supercopa do Brasil, competição que o São Paulo ganhou.

James Rodriguez não se manifestou.

Porque ele não se sentiu à vontade, confiante.

Porque, de maneira sigilosa, o São Paulo não revelou para a imprensa que o colombiano treinou muito leve na semana passada. E só na sexta-feira teve a certeza de que poderia jogar entre 20 e 25 minutos de partida.

Porque estava recuperando de suas crônicas dores na panturrilha direita.

Dores que já o tiraram da Copa do Mundo do Catar.

Além disso, James não quis se expor, como aconteceu na decisão das quartas de final da Copa Sul-Americana de 2023.

Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU
Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Ele escorreu, seu pé direito tocou na bola antes do chute forte, por cima do gol, contra a LDU. Foi o único a errar e a equipe equatoriana se classificou para a semifinal, dentro do Morumbi, vencendo nos pênaltis por 5 a 4.

Os dirigentes ouviram as explicações de Carpini.

E aceitaram, a contragosto.

O meia de 32 anos recebe R$ 1,5 milhão por mês.

Foi contratado para servir de referência à torcida.

E aos próprios companheiros de time.

Como ex-jogador, Carpini diz que ‘entende e aceita as justificativas’.

Mas internamente está claro.

As cobranças serão muito maiores para o colombiano.

A exigência é de maior envolvimento com o time.

James Rodriguez conta com dois grandes defensores no elenco.

Lucas e Rafinha, que o convenceram a ficar no São Paulo em 2024.

Mas não será surpresa se, com a abertura da janela, ele deixar o Morumbi.

A insatisfação é dos dois lados.

Não ter cobrado pênalti só aumentou a desilusão entre os dirigentes…

A direção do São Paulo vai segurar Thiago Carpini, como publicou o blog, na madrugada de hoje.

O presidente Julio Casares acredita no trabalho do técnico de 39 anos.

Mas ele e vários conselheiros, que o garantem no poder, quiseram saber a mesma coisa.

Por que a estrela midiática, internacional, ex-jogador do Real Madrid e do Bayern de Munique, que disputou duas Copas do Mundo, não cobrou uma das seis penalidades contra o Novorizontino, ontem, no Morumbi? Na decisão que eliminou o São Paulo do Paulista, por 5 a 4.

Carpini foi direto.

A decisão foi de James Rodriguez.

Como não há mais a imposição de o time entregar para os árbitros a lista dos cobradores de pênalti, assim que vai começar a decisão, Carpini deixou para os atletas. Os mais confiantes bateram.

Ele exemplificou que usou a mesma metodologia contra o Palmeiras, na decisão da Supercopa do Brasil, competição que o São Paulo ganhou.

James Rodriguez não se manifestou.

Porque ele não se sentiu à vontade, confiante.

Porque, de maneira sigilosa, o São Paulo não revelou para a imprensa que o colombiano treinou muito leve na semana passada. E só na sexta-feira teve a certeza de que poderia jogar entre 20 e 25 minutos de partida.

Porque estava recuperando de suas crônicas dores na panturrilha direita.

Dores que já o tiraram da Copa do Mundo do Catar.

Além disso, James não quis se expor, como aconteceu na decisão das quartas de final da Copa Sul-Americana de 2023.

Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU
Colombiano errou sua cobrança. E o São Paulo foi eliminado da Sul-Americana, no Morumbi. Pela LDU REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Ele escorreu, seu pé direito tocou na bola antes do chute forte, por cima do gol, contra a LDU. Foi o único a errar e a equipe equatoriana se classificou para a semifinal, dentro do Morumbi, vencendo nos pênaltis por 5 a 4.

Os dirigentes ouviram as explicações de Carpini.

E aceitaram, a contragosto.

O meia de 32 anos recebe R$ 1,5 milhão por mês.

Foi contratado para servir de referência à torcida.

E aos próprios companheiros de time.

Como ex-jogador, Carpini diz que ‘entende e aceita as justificativas’.

Mas internamente está claro.

As cobranças serão muito maiores para o colombiano.

A exigência é de maior envolvimento com o time.

James Rodriguez conta com dois grandes defensores no elenco.

Lucas e Rafinha, que o convenceram a ficar no São Paulo em 2024.

Mas não será surpresa se, com a abertura da janela, ele deixar o Morumbi.

A insatisfação é dos dois lados.

Não ter cobrado pênalti só aumentou a desilusão entre os dirigentes…

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias