Veto 46: O Bolsonarismo não foi derrotado, ministro Barroso

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Quarta-feira, 12 de julho de 2023, durante o 59º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), em Brasília, o ministro do STF Luiz Roberto Barroso, em flagrante ato político, afirmou ao lado do então ministro da justiça Flávio Dino, hoje também ministro do STF:

“Nós derrotamos o bolsonarismo”.

Terça-feira, 28 de maio de 2024, o Congresso Nacional analisou o veto 46 do então presidente Jair Bolsonaro.

O veto 46 de 2021, do então presidente Jair Bolsonaro, foi em defesa da liberdade.

O que se pretendia com a derrubada do veto 46 era a criminalização da opinião.

O Congresso Nacional manteve o veto 46, de Jair Bolsonaro. Ou seja, 317 votos a favor da Liberdade e 139 a favor da criminalização da opinião.

Em especial da opinião divergente da extrema-esquerda lulofascista.

Venceu a liberdade!

O bolsonarismo é uma ideia, nascida a menos de uma década e veio para ficar.

São princípios e valores em defesa da família, da pátria,  das liberdades individuais.

O que tem que ser derrotado é o movimento político que defende a censura, que defende o aborto, que defende a divisão da humanidade entre negros e brancos, entre gays e heteros. Quem apoia ditaduras, quem defende terroristas do Hamas.

Resumindo, quem deve ser derrotada é a extrema-esquerda lulofascista.

Jair Bolsonaro e o bolsonarismo vivem!

Foto de Henrique Alves da Rocha
Henrique Alves

 

Por Henrique Alves da Rocha*

Coronel da Polícia Militar do Estado de Sergipe.

 

 

 

*A opinião expressa neste artigo é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Correio de Notícia não tem responsabilidade legal pela “OPINIÃO” que é exclusiva do autor.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

0
Would love your thoughts, please comment.x
×

Olá!

Clique em um de nossos contatos abaixo para conversar no WhatsApp

× Canal de denúncias