Criminosos invadem fazendas, destroem instalações e torturam funcionários

Quem são esses bandos que age de maneira criminosa e destruindo as propriedades?

Circula nas redes sociais e grupos de WhatsApp boatões em forma de vídeo mostrando grupos de invasores sem terras supostamente ligados ao (MST) agindo de maneira criminosa, roubando, destruindo fazendas e torturando funcionários.

Essa nova modalidade de conflito agrário composto por sem terras e grupos considerados extremamente perigosos está acontecendo na região de Rondônia, Acre e Amazonas.

A Fazenda Santa Carmem, a cerca de 190 quilômetros de Porto Velho (RO), foi alvo de mais de 40 homens fortemente armados. De acordo com pichações feitas no local, a ação foi feita por integrantes da Liga dos Camponeses Pobres (LCP).

Segundo relatos de funcionários, o grupo agiu com muita violência, inclusive com técnicas de tortura, destruindo veículos, alojamentos e levando outros veículos e tratores da fazenda.

Veja o vídeo da fazenda Santa Carmem:

Neste outro vídeo a baixo, a força nacional chegou a verificar e conversar com um grupo de invasores que estavam prestes a invadir uma outra fazenda.

A maioria dos integrantes estavam com o rosto totalmente coberto, armados e seguravam a bandeira da Liga dos Camponeses Pobres (LCP). Segundo informações, o movimento tem predileção pela guerrilha armada. 

De acordo com informações, esses criminosos estão usando o pano de fundo de movimentos sociais para causar terror nas propriedades. Eles entram, destroem as propriedades e retornam para essas terras em litígio, onde a Polícia Militar não pode entrar”.

Confira:

Onde Vamos Parar?

da Redação/CN

Duas pessoas são executadas a tiros dentro de residência em Ji-Paraná

A tia de uma das vítimas, uma adolescente de 17 anos conseguiu escapar. Os criminosos fugiram do local.

Uma adolescente de 17 anos e um homem, de 44, foram assassinados dentro de uma casa na Rua k-0 em Ji-Paraná (RO), na madrugada desta sexta-feira (22).

Segundo relato à Polícia Militar (PM) da única sobrevivente do massacre, os dois criminosos suspeitos do crime estavam armados, sendo um deles com facão e o outro com um revólver. Um dos assassinos também vestia uma camiseta camuflada.

Após pularem o muro dos fundos da residência e invadirem o imóvel, os suspeitos renderam três pessoas que estavam no local: a adolescente de 17 anos, a tia da menor e o homem de 44 anos.

Os suspeitos então começaram perguntar às vítimas onde estava um homem conhecido por ‘Vitor’. Como essa pessoa não estava dentro da casa, os criminosos foram até o quarto e deram um tiro na cabeça do homem de 44 anos.

Logo depois eles caminharam até o banheiro, onde a adolescente se escondia, e efetuaram um disparo no tórax dela. A tia da menina que estava na casa conseguiu escapar e então os criminosos fugiram do local.

O Corpo de Bombeiros chegou a ir no imóvel, mas a adolescente e o homem não tinham mais sinais vitais. A Polícia Militar fez buscas pela região, porém não encontrou nenhum dos dois suspeitos do duplo assassinato.

Os dois corpos foram liberados a uma funerária, após passarem pela perícia, e a Polícia Civil investiga agora a motivação da dupla execução em Ji-Paraná.

Fonte: G1/RO

Criminosos fazem família de refém na zona leste de Porto Velho

O caso aconteceu no bairro planalto.

Uma família ficou refém de criminosos desde a noite de terça-feira (12) até o amanhecer desta quarta-feira (13), em uma residência localizada na Rua Rui Barbosa, Bairro Planalto, Zona Leste de Porto Velho.

Os assaltantes estavam armados e invadiram a casa, por volta das 22 horas.

Os moradores foram ameaçados de morte e logo em seguida amarrados, ficando sob a mira de parte dos criminosos, enquanto a outra parte do bando levava uma caminhonete S10 e um veículo modelo Ford Ka.

Apenas na manhã desta quarta-feira que o restante dos criminosos fugiu, depois que o outro bando já havia atravessado o veículo para a Bolívia.

Após a fuga, a PM foi acionada e foi ao local registrar a ocorrência.

Fonte: Rondônia Agora