Com novos ônibus, transporte coletivo de Porto Velho tem aumento de 2,5 mil viagens por mês

Mais de 20 mil passageiros utilizam diariamente o meio de locomoção na capital



Desde o início do mês, novos ônibus foram incorporados à frota do transporte coletivo em Porto Velho, proporcionando mais opções aos usuários do sistema. Mais 14 ônibus foram colocados nas ruas, disponibilizando novos horários e um adicional de 2,5 mil viagens por mês, reduzindo o tempo de espera e otimizando o serviço de transporte público.

Atualmente, com 57 ônibus em circulação, mais de 20 mil passageiros têm utilizado diariamente o transporte coletivo da capital.

LINHAS

De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), a inclusão dos veículos para atendimento das linhas 110 – São Francisco, 111- Ulisses via Tancredo Neves, 112 – Mariana, 113 – Presidente Roosevelt via Cemetron, 114 – Orgulho do Madeira, 116 – Esperança da Comunidade via Cristal da Calama, 117 – Guajará, 119 – Morar Melhor via Areal, 120 – Bairro Novo, 121 – Ulisses via BR, 214 – Cohab Floresta, 215 – Norte Sul e 216 – Cidade Nova resultou em mais 208 viagens por dia, um total de 2.686 ao mês dando suporte a cerca de 200 mil usuários/mês.

Dentre as alterações, uma das mais significativas foi o desmembramento da linha 213 – Cidade Nova via Novo Horizonte, tornando-se linha 213 – Novo Horizonte, que voltou ao antigo itinerário, atendendo o bairro Tucumanzal.

A linha 216 – Cidade Nova, também retornou ao mesmo itinerário de antes, com o benefício de atender também os usuários do loteamento Tropical. Outra mudança foi na Linha 312 – Nacional, que foi estendida para atender as comunidades localizadas após o ponto final na Estrada do Belmont. Já a Linha 311 – Vila Dnit foi ampliada para atender o bairro Areal Centro.



Com o aumento da frota também houve a reativação das linhas Universitárias para suporte de passageiros que precisam se deslocar até as faculdades. A linha 110.1- Universitária I agora parte da zona Leste, do terminal do Ulisses Guimarães. Já a linha 117.1 – Universitária II sai do terminal do Guajará, enquanto a linha 215.1- Universitária III parte da zona Sul, do terminal do Norte Sul.

Os itinerários podem ser consultados no portal da Semtran e no aplicativo Cittamobi.

TARIFA

O valor da passagem de ônibus em vigor continua reduzido até novembro, custando R$ 2 para os usuários que utilizam o cartão COM Card. Para o usuário que faz pagamento em espécie o valor é de R$ 4,05.

A redução tarifária decorre de aporte financeiro que o município faz à concessionária que opera o transporte coletivo na capital, a JTP Transporte, Serviços, Gerenciamento e Recursos Humanos Ltda, para garantir o serviço em funcionamento e suprir demandas decorrentes da pandemia de covid-19.

Passagem continua reduzida para os usuários com cartão COM Card Foto: Leandro Morais, Saul Ribeiro e Wesley Pontes

Segundo a Semtran, a possibilidade de pagar uma tarifa reduzida tem atraído um público maior para o transporte coletivo.

Texto: Renata Beccária

Luizinho Goebel cobra ações para proteger empresas de transporte escolar e os empregos que o setor gera

Retomada do serviço para atender aos alunos é incerta; cinco mil ônibus estão parado e 20 mil empregos comprometidos

O deputado estadual Luizinho Goebel (PV) usou a tribuna da Assembleia Legislativa, durante sessão desta quarta-feira (25), para relatar a situação das empresas de transporte escolar de Rondônia, que estão paradas há mais de um ano e que com a volta às aulas presencias, estão em dificuldades.

“A gente vê no discurso a defesa de incentivos às empresas e aos empregos. Mas, a Associação das Empresas de Transporte Escolar de Rondônia (Assetero) já apresentou diversas propostas, incluindo uma lei onde o Governo repassava parte dos contratos durante a pandemia, mas isso não prosperou e respeitamos essa prerrogativa”, disse Goebel.

Segundo o deputado, “foi protocolado um novo pedido ao Governo, pelo retorno às aulas presenciais e isso está previsto de ocorrer na próxima semana. Eles solicitaram a anistia nos exercícios 2020 e de 2021 do licenciamento dos veículos. Eles não podem pagar se sequer usaram os veículos. Seria o mínimo que eles deveriam ser beneficiados. Já me mobilizei, mas não conseguimos avançar”.

Para Goebel, “a maioria das empresas está quebrada ou quebrando. Lamento a falta de resposta por parte do Governo. Outro ponto solicitado é a anistia do IPVA de 2020 e de 2021 desses veículos, não é justo pagar sendo que não usaram no transporte. As empresas pagarem por um serviço que não usaram. Lamento que ficamos por meses lutando por isso, mas não recebemos sequer uma resposta aos ofícios”.

O deputado solicitou que, “no mínimo, seja dada uma prorrogação das vistorias realizadas. Foram feitas vistorias em 2020 e não foram usadas. Tudo bem, ficaram parados e devem passar por nova vistoria, mas ter que ser pago de novo? É injusto. Quando se tem a oportunidade legal de se ajudar e não se ajuda, é hipocrisia. Cobrar de um serviço que não foi prestado, é inaceitável”.

Líder do Governo na Casa, Goebel disse que “quero levar isso ao conhecimento do governador Marcos Rocha: se não tem ninguém no Governo que pode dar essa resposta, que ele cobre essa resposta de quem seja o responsável. Se queremos gerar, manter os empregos e as empresas, não podemos virar as costas para esse setor”.

Em Rondônia, cerca de cinco mil ônibus estão parados há mais de um ano. Cada ônibus precisa de um motorista e monitor, além de funcionários da manutenção e administrativos, que somam cerca de 20 mil pessoas no Estado.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Dupla é pega transportando drogas escondida em uma mochila no interior

A ação contou com o apoio do Núcleo de Inteligência da Polícia Militar.

Dois criminosos de 21 e 23 anos foram presos por policiais civis da Delegacia de São Francisco do Guaporé, nesta sexta-feira (20), após serem flagrados com vários tabletes de droga em um veículo, durante uma abordagem realizada na BR-429. A ação contou com o apoio do Núcleo de Inteligência da Polícia Militar.

Após receberem uma denúncia informando do crime praticado pelos dois, os policiais iniciaram as investigações e confirmaram que um veículo Fiat Uno estaria transportando certa quantidade de droga do município de Costa Marques para São Francisco do Guaporé.

Rapidamente, os investigadores montaram uma campana na BR-429. Ao avistar os policiais, o motorista do veículo tentou fugir, mas o carro foi abordado. Eles ainda tentaram jogar a droga que estava em uma mochila, pesando 10 quilos. O entorpecente foi avaliado em R$ 400 mil.

Os dois criminosos foram encaminhados para a sede da Polícia Civil de São Francisco do Guaporé, onde o delegado Reinaldo Reis flagranteou a dupla por tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas.

A população pode contribuir com o trabalho da Polícia fazendo denúncias no 197 da Polícia Civil. Não precisa se identificar.

PF flagra suspeito tentando atravessar gasolina contrabandeada da Bolívia em Guajará-Mirim, RO

A PF acredita que não seria a primeira vez do jovem trazendo gasolina para o Brasil.

A Polícia Federal (PF), flagrou na tarde de quarta-feira (18), um jovem de 28 anos, enquanto tentava atravessar com 600 litros de gasolina adulterada e contrabandeada na fronteira com a Bolívia em Guajará-Mirim (RO). O suspeito foi preso.

De acordo a polícia, o suspeito havia feito o carregamento de gasolina na Bolívia e usou um barco para atravessar a fronteira, no rio Mamoré.

O crime de contrabando foi descoberto depois de policiais federais avistarem um veículo em alta velocidade dirigindo-se à zona portuária da cidade.

“A equipe realizou acompanhamento tático do automóvel suspeito e surpreendeu o abordado descarregando diversos galões de combustível proveniente de uma embarcação clandestina”, diz a PF.

Aos policiais, o jovem confessou que a carga de gasolina boliviana iria ser entregue a uma pessoa em Guajará.

A PF acredita que não seria a primeira vez do jovem trazendo gasolina para o Brasil.

Fonte: G1/RO

Suplementação vitamínica minimiza efeitos do estresse causados pelo transporte de suínos

O transporte dos leitões é uma fase crítica, principalmente devido ao estresse térmico, sendo agravado de acordo com a distância percorrida

A realocação de suínos entre galpões após o desmame ou o descreche gera estresse e, portanto, precisa ser feito com cuidado. O transporte, a adaptação à nova instalação, o efeito do reagrupamento no caminhão e nas baias e a normal disputa de hierarquia provocam um período de imunossupressão, que pode representar má adaptação dos leitões nos primeiros dias após o alojamento.  “O transporte dos leitões é uma fase crítica, principalmente devido ao estresse térmico, sendo agravado de acordo com a distância percorrida. O simples fato de os leitões serem agitados para o carregamento já inicia um processo de estresse agudo que, incluindo situações de elevação da temperatura, pode até provocar perdas de animais”, explica o médico veterinário Paulo Bennemann, gerente da área de suínos da SANPHAR Saúde Animal.

Bennemann recomenda que, para reduzir o estresse dos animais durante o transporte, é importante que a mudança seja realizada em horários com temperaturas mais amenas e com calma, de modo que os animais não sofram com o incremento da temperatura corporal. “Outro ponto de atenção é a associação do estresse da mudança com baixa ingestão alimentar no período de adaptação, que pode ocasionar uma diminuição temporária do desempenho desses suínos”, destaca o especialista.

Dessa maneira, a orientação para minimizar as perdas ocorridas durante esta fase está relacionada à oferta de suplementação vitamínica antes e durante o transporte dos animais. “Realizar a suplementação vitamínica via água de bebida fornece componentes essenciais aos leitões, principalmente em períodos de elevado estresse. Algumas vitaminas desempenham papel de antioxidantes e outras colaboram com as funções metabólicas importantes, contribuindo decisivamente para eles suportarem os desafios do momento”, reforça Paulo Bennemann.

Com o objetivo de contribuir para a suplementação vitamínica dos suínos durante os processos críticos, como transporte e realojamento, a SANPHAR Saúde Animal coloca à disposição dos suinocultores CELTZ® EF Plus, um suplemento vitamínico concentrado com 11 tipos de vitaminas dos complexos A, B, C, D, E e K. Devido à apresentação única no mercado, em forma de pastilha efervescente, CELTZ® EF Plus apresenta alta solubilidade mesmo em quantidades pequenas de água, sem a necessidade de agitação. Dessa forma, as vitaminas são prontamente ingeridas e absorvidas pelo trato digestório dos suínos. CELTZ® EF Plus é de fácil utilização e seguro para suínos de todas as idades.

Por Giovanna Borielo – Texto

Prefeitura cria projeto de lei para baixar valor da passagem do transporte coletivo para R$ 1 a partir de maio

Redução será possível através de subsídio de R$ 6 milhões bancado pelo executivo municipal

Porto Velho, RO – O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), enviou na segunda-feira (5) um projeto de lei à Câmara Municipal para reduzir o valor da passagem do transporte coletivo para R$ 1 a partir de maio.

Para garantir a tarifa ao usuário com valores menores, a prefeitura prevê repassar até R$ 6 milhões em subsídio. A redução prevista no projeto de lei deve durar até o fim de 2021, com aumento gradativo da tarifa mês a mês, até o retorno da tarifa normal, conforme tabela abaixo.

Tarifa proposta para o transporte coletivo de Porto Velho até dezembro de 2021

MesesValor
Maio, junho e julhoR$ 1
Agosto, setembro e outubroR$ 2
Novembro e dezembroR$ 3

Fonte: Prefeitura de Porto Velho

Conforme o projeto, o objetivo da medida é permitir a continuidade e manutenção do serviço e o reequilíbrio econômico-financeiro da empresa concessionária do transporte coletivo urbano, que sofre com a baixa demanda de usuários.

O documento enviado aos vereadores relata que o número de passageiros que usam o serviço é significativamente menor que o previsto na licitação e no contrato firmado. Com isso, a empresa buscou a Secretaria Municipal de Transportes (Semtran), que entendeu como necessário o reequilíbrio das contas.

Conforme a Câmara Municipal, o projeto de lei foi votado nesta terça-feira (6) e aprovado por maioria.

Fonte: g1/RO

Operação da PF desbarata quadrilha que aliciava pessoas para o transporte de drogas por meio de intimidação e ameaças

“A droga era transportada na mala que seria despachada”

A Polícia Federal (PF) de São Paulo prendeu nesta quarta-feira (20) cinco integrantes de um grupo responsável pelo aliciamento de pessoas usadas para fazer o transporte de cocaína do Brasil para o Líbano. Outros três investigados estão foragidos. Além de comprar a droga na Colômbia, trazer para o Brasil e aliciar pessoas, os criminosos providenciavam a hospedagem, o transporte com as malas, os contatos e a recepção das remessas no Líbano.

“Eles sempre colocavam com a mula [pessoa que leva a droga] um acompanhante para evitar que o aliciado desistisse de concluir a missão, por meio de intimidação e ameaças.

O objetivo era garantir que as mulas embarcassem, assim o acompanhante ficava até o momento do check-in. Quando ocorriam abordagens pela polícia, essas pessoas desapareciam para não serem pegas. “A droga era transportada na mala que seria despachada”, informou a Polícia Federal.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo, Jundiaí e Foz do Iguaçu. Também foram efetivadas medidas judiciais de bloqueio de valores e sequestros de veículos, imóveis e dinheiro, que totalizaram aproximadamente R$ 132 milhões. Com os integrantes da quadrilha foram apreendidos também mais de 60 quilos de cocaína e R$ 250 mil.

“Uma das características desse grupo é a de que os pagamentos para as mulas só eram feitos depois de duas ou três viagens e variavam entre US$ 15 a 25 mil. A organização é libanesa e já atua há pelo menos quatro anos. As mulas são geralmente estrangeiros, libaneses”, afirmou a PF.

As investigações estão em andamento desde 2017 e os membros da organização foram identificados devido a delações premiadas. Uma das dificuldades para concluir a operação Overweight foi a de que os criminosos sempre mudavam de endereço. “Para executar a operação hoje, muitos endereços foram obtidos na semana passada”, disse a PF.

Os envolvidos responderão pelos crimes de tráfico internacional de entorpecentes e organização criminosa.

Fonte: JCO

Semtran recebe micro-ônibus para transportar agentes de trânsito de Porto Velho

Veículo ficará disponível para a Escola Vivencial de Trânsito, à disposição dos agentes de trânsito que realizam a fiscalização e as ações de educação para o trânsito

A Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), recebeu na terça-feira (22), um micro-ônibus Volare, da marca Marcopolo, para atender aos agentes de trânsito de Porto Velho.

O veículo é um dos recursos recebidos da Energia Sustentável do Brasil, através do convênio UHE Jirau nº 168/2012 e ficara disponível para a Escola Vivencial de Trânsito, à disposição dos agentes de trânsito que realizam a fiscalização e as ações de educação para o trânsito, como forma de proporcionar melhoria no trabalho de educação e agentes da Semtran.

Fonte: Comdecom

Capital de Rondônia, mais uma vez fica sem transporte coletivo

Restou aos usuários, mais uma vez, recorrer ao transporte alternativa

Porto Velho, RO – Mais uma vez a população de Porto Velho fica sem ônibus. Desta vez não foi por conta de uma nova greve que a população ficou sem transporte coletivo. De acordo com informações obtidas com exclusividade, na manhã desta quarta-feira (23), junto ao sindicato, motoristas e cobradores, ‘tudo que se sabe é que parte da frota que ainda circulava, precariamente, teriam sido arrestado pela Justiça’.

Outra informação, ainda não confirmada pela reportagem, dá conta de que ‘ao menos dez veículos haviam sido deslocados para lugares incerto e não sabido’; e/ou supostamente, vendidos a empresas que atuam no interior do estado, mais precisamente, em Machadinho D’Oeste e Cone Sul do Estado’.

Sem um pronunciamento oficial sobre a verdadeira destinação da frota sob a responsabilidade do CONSÓRCIO SIM, segundo uma servidora do gabinete da SEMTRAN, informou sob o sigilo da fonte que, ‘um servidor técnico teria ido à sede da empresa, verificar o que havia ocorrido’. No entanto, deu qualquer detalhes sobre como a Prefeitura iria solucionar a polêmica envolvendo o sistema de transporte coletivo.

SEM SAÍDA – Restou aos usuários, nesta manhã, segundo atestou a Reportagem, mais uma vez, recorrer ao transporte de condução alternativa como: taxi-compartilhado e moto-taxi, pagando mais caro que o ônibus R$ 1,20 em relação aos R$ 3,80 pelo preço da passagem comum.

Ao contrário do titular da SEMTRAN, Nilton Krisner, não foi encontrado durante toda  a manhã desta quarta-feira (23), o prefeito Hildon Chaves, em uma live na sua página pessoal na Internet, reiterou que ‘o serviço de transporte coletivo parou de vez na cidade’.

O tucano afirmou, ainda, que, ‘a empresa estava funcionando na UTI e os últimos dez carros que estavam circulando simplesmente pararam’. E na ocasião, anunciou que a nova concessionária começa a operar a partir do dia 19 de outubro’. E assegurou que: devido a gravidade da situação, no máximo duas semanas, os ônibus estarão nas ruas de Porto Velho’- com a tarifa de R$ 4,05.  

Por Xico Nery | Redação/CN

PF investiga 4 organizações criminosas, atuando no tráfigo internacional de drogas

Os traficantes usavam helicópteros e aviões no transporte das drogas

A Polícia Federal (PF) deflagrou nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (18) a Operação Além-Mar, que investiga o tráfico internacional de drogas no país. Segundo a PF, Quatro organizações criminosas autônomas, atuando em conexão, enviaram toneladas de cocaína para a Europa, usando os portos de vários estados, entre eles, o Porto de Natal no Rio Grande do Norte.

A primeira célula criminosa, estabelecida na cidade de São Paulo, fazia sistematicamente a “internação de cocaína através da fronteira do Brasil com o Paraguai, transportando-a via aérea até o estado de São Paulo e distribuindo-a no atacado para organizações criminosas estabelecidas no Brasil e na Europa. Um segundo grupo criminoso, em Campinas, recebia a cocaína para distribuição interna e exportação para Cabo Verde e Europa.

A terceira célula criminosa, localizada no Recife, integrada por “empresários do setor de transporte de cargas, funcionários e motoristas de caminhão cooptados, e provê a logística de transporte rodoviário da droga e o armazenamento de carga até o momento de sua ocultação nos containers”.

A quarta parte da organização criminosa, era estabelecida na região do Braz, em São Paulo, e atuava como “banco paralelo, disponibilizando sua rede de contas bancárias para movimentação de recursos de terceiros, de origem ilícita, mediante controle de crédito/débito, cujas restituições se dão em espécie e a partir de TEDs, inclusive com compensação de movimentação havida no exterior (dólar-cabo)”.

Os policiais federais cumprem 139 mandados de busca e apreensão e 50 de prisão, sendo 30 de prisões temporárias e 20 de prisões preventivas. A Justiça Federal determinou também a apreensão de cinco helicópteros, sete aviões, 42 caminhões e 35 imóveis urbanos e rurais, além do bloqueio de R$ 100 milhões.

As ações ocorrem em endereços relacionados aos investigados nos estados de Pernambuco, Santa Catarina, São Paulo Alagoas, Mato Grosso do Sul, Goiás, da Bahia, Paraíba, do Ceará, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte e no Distrito Federal.

Segundo a PF, as investigações começaram há 4 anos pela superintendência de Pernambuco.

Fonte: Aécio Amado A/B